Enquanto Gabriel Souza, 18, desliza os dedos sobre os cabos de aço e a superfície lisa do barco, o silêncio é absoluto. Essa é a forma como o jovem, que nasceu 100% surdocego, enxerga a embarcação de 25 pés (ou 7,5 metros) em que vai velejar. O garoto é conduzido pelo instrutor Miguel Olio, 34, que criou em São Paulo o primeiro projeto de vela no Brasil para pessoas que têm essa deficiência múltipla: não enxergam nem escutam. Veja Mais…

Fonte: TV Folha – 03/09/2016 – https://mais.uol.com.br/view/e0qbgxid79uv/com-uso-da-sensibilidade-surdocegos-aprendem-a-velejar-no-litoral-de-sp-0402CC183760E0C95326?types=A&